quinta-feira, 29 de setembro de 2011



Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
em inglês - in english

Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english

quarta-feira, 28 de setembro de 2011


Semelhança também na tagarelice
● Está na hora de acabar o monopólio postal do correio. Qualquer pacote custa o olho da cara. Não aceita pacote assim, não aceita envelope assão, cheio de onda, cheio de quatro pesos. Não aceita cheque, não aceita cartão. Tudo é difícil porque, como a água e eletricidade, não tem concorrente. Pode pintar e bordar e o cidadão tem de pagar.
● E a notícia de que um tal conselho de política pràs mulheres (só pra gastar dinheiro o governo cria uma bobagem dessa) quer tirar do ar uma propaganda onde Gisele Bündchen aparece de langerri, dizendo que reforça o estereótipo da mulher como objeto. É necessário sairmos da infância e deixar na lata de lixo da memória esse tipo de moralismo boboca, de papo-furado de gente que quer aparecer fazendo polêmica a qualquer preço. Temos a tecnologia de nossos tataranetos e o moralismo de nossos tataravós.
● Se propõe una nova constituinte. É extremamente necessário, pois a bandidagem que impera hoje é resultado do romantismo ingênuo da constituinte de 1988. Graças do doutor Diretas (que era chamado múmia pela imprensa quando queria eleger Collor e o converteu em doutor Diretas num passe de mágica) a polícia ficou sem ação e os bandidos cheios de direito. É impossível um sistema que tudo preveja e tudo cubra. Quando se tenta essa utopia se descobre a outra parte. Um sistema maravilhoso, que garanta todos os direitos e faça uma justiça perfeita é impossível. É como querer criar uma empresa imune a falência, que pague salário alto, que nunca tenha prejuízo, que seja modelo em tudo. Utopia. É espantoso que ainda exista quem aceite ser policial, com tantos entraves a sua atuação, só podendo prender em flagrante e tudo o mais. A qualquer ação sofre processo. Precisamos de leis realistas, uma média aceitável, e não essa utopia de país supostamente bonzinho. E tirar a nudez do código penal, pois isso é tão arcaico quanto a mulher saudita não poder viajar, dirigir carro, votar e ser votada.

Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english

Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
em inglês - in english

terça-feira, 27 de setembro de 2011


Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english

segunda-feira, 26 de setembro de 2011


Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english

Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english

domingo, 25 de setembro de 2011


Do absurdo que é o inglês como idioma universal
Del absurdo que es el inglés como idioma universal
Mário Jorge Lailla Vargas
Meu primeiro contato com a língua inglesa foi antipatia a primeira vista. Quando, com dez anos de idade, tive o inglês como matéria curricular o entusiasmo logo cedeu a uma desilusão ante essa língua tosca e sem pé nem cabeça.
Mi primer contacto con la lengua inglesa fue antipatía a primera vista. Cuando, con diez años de edad, tuve el inglés como materia curricular el entusiasmo pronto cedió a una desilusión ante esa lengua tosca e sin pie ni cabeza.
No científico eu entregava a prova em branco, espantando a professora, pois ao menos podia jogar no bicho, já que era prova de marcar x.
Nel científico yo entregaba la prueba en blanco, espantando la maestra, pues al menos podía marcar aleatoriamente, ya que era prueba de marcar x.
Alguns pensaram que essa antipatia fosse por causa política, um anti-ianquismo ou anti-britanismo, como o dos argentinos na questão das Malvinas. Não. A língua me repugna, como me repugna tudo o que não tem lógica, não é estruturado coerentemente, como as matérias de ciências humanas.
Algunos pensaron que esa antipatía fuese por causa política, un anti-yankismo o anti-britanismo, como lo de los argentinos en la cuestión de las Malvinas. No. La lengua me repugna, como me repugna todo lo que no tiene lógica, no es estructurado coherentemente, como las materias de ciencias humanas.
Quando vi um trecho dum filme em inglês, onde um casal batia boca, tapei os ouvidos ante aquela cacofonia inconcebível de sons ásperos, desagradáveis.
Cuando vi un trecho de una película en inglés, donde una pareja discutía, tapé los oídos ante aquella cacofonía inconcebible de sonidos ásperos, desagradables.
Até tentei aprender mas logo desistia, pois a didática errada, derivada do entreguismo do governo militar, tendo como modelo o inglês ianque em vez do britânico, é a causa do problema. Didática errada, pois o modelo deveria ser o britânico, sob pena desse tipo de rejeição.
Hasta intenté aprender pero pronto desistía, pues la didáctica errada, derivada del entreguismo del gobierno militar, teniendo como modelo el inglés yanke en vez del británico, es la causa del problema. Didáctica errada, pues el modelo debería ser el británico, bajo pena de ese tipo de repulsa.
O inglês ianque sofreu influência dos colonos holandeses na época de Washington Irving. É característica do holandês pronunciar assim atropelado, sem discernir direito as palavras, muito rápido, elidindo sílabas finais.
El inglés yanke sufrió influencia de los colonos holandeses en la época de Washington Irving. Es característica del holandés pronunciar así atropellado, sin discernir bien las palabras, muy rápido, elidiendo sílabas finales.
Pra quê tanta letra dobrada? Pra quê tanto LL, NN, MM, TT sem necessidade de diferenciação?  Por que collection en vez de coletion? Por que Mississippi? Por que Abbott & Costello em vez de Abot & Costelo? Por que não simplificam?, como foi feito no português.
¿Para qué tanta letra doble. Para qué tanto LL, NN, MM, TT sin necesidad de diferenciación.  Por que collection en vez de coletion. Por que Mississippi. Por que Abbott & Costello en vez de Abot & Costelo. Por que no simplifican?, como fue hecho nel portugués.
Não tem regra de pronúncia, de modo que uma palavra nova não se sabe como pronunciar. Então é um idioma ideográfico, apenas que o ideograma é representado por letras em vez de desenho. É como o X no português e castelhano, só que estendido ao idioma todo. Numa palavra nova não se sabe se o X terá som de ch, cs, ss ou z. Também é tonal como o chinês e o guarani. Tudo isso resulta num idioma bizarro, esdrúxulo.
No tiene regla de pronuncia, de modo que una palabra nueva no se sabe como pronunciar. Entonces es un idioma ideográfico, apenas que el ideograma es representado por letras en vez de dibujo. Es como el X nel portugués y castellano, solo que extendido al idioma todo. En una palabra nueva no se sabe si el X tendrá son de ch, cs, ss o z. También es tonal como el chino y el guaraní. Todo eso resulta nun idioma bizarro, esdrújulo.
Daí aquela pérola do trocando de biquíni sem parar, quando era tocando B. B. King sem parar. Comigo foi assim. Louco pelo ABBA, queria o disco do mais recente lançamento, que era I have a dream. Como não conseguia discernir direito escrevi assim, pra mamãe comprar o disco pra mim: I red a tree. Felizmente o vendedor entendeu.
De eso aquella perla del cambiando de bikini sin parar, cuando era  tocando B. B. King sin parar [La semejanza solo en portugués]. Conmigo fue así. Loco por el ABBA, quería el disco del más reciente lanzamiento, que era I have a dream. Como no conseguía discernir bien escribí así, para mamá comprar el disco para mí: I red a tree. Felizmente el vendedor entendió.
Uma vez vi, numa entrevista no programa Jô Soares 11½, Cacá Rossetti declamar um poema de Cheiquespir num inglês bem britânico. Entendi nada mas soava bem. Achei lindo. Mas nem isso foi suficiente pra derrubar meu preconceito contra o inglês, que continuo achando um idioma horrível, que traduzo xingando e esperneando.
Una vez vi, en una entrevista nel programa Jô Soares 11½, Cacá Rossetti declamar un poema de Cheiquespir nun inglés bien británico. Entendí nada pero sonaba bien. Me pareció lindo. Pero ni eso fue suficiente para derribar mi prejuicio contra el inglés, que persisto considerando un idioma horrible, que traduzco maldiciendo y pataleando.
Mas não estou só. Tenho até Bernard Shaw a meu lado.
Pero no estoy solo. Tengo hasta Bernard Shaw a mi lado.
No livro A aventura das línguas - uma viagem através da história dos idiomas do mundo, de Hans Joachim Störig:
Nel libro La aventura de las lenguas - un viaje a través de la historia de los idiomas del mundo, de Hans Joachim Störig:
Línguas constituídas de palavras indeclináveis, e que expressam o significado da frase mediante a ordem em que estão nas palavras, são chamadas isolantes (cf. Capítulo 12). Com a perda das desinências o inglês se aproximou desse tipo lingüístico. O leigo se admirará ao ler, numa obra de lingüística, com referência ao inglês, a seguinte frase: Tipologicamente pode ser colocado entre o mongol e o chinês.
Lenguas constituidas de palabras indeclinables, y que expresan el significado de la frase mediante la orden en que están en las palabras, son llamadas aislantes (cf. Capítulo 12). Con la pérdida de las desinencias el inglés se acercó de ese tipo lingüístico. El laico se admirará al leer, en una obra de lingüística, con referencia al inglés, la siguiente frase: Tipológicamente puede ser colocado entre el mongol y el chino.
O inglês falado sofreu transformações decisivas (mutações consonânticas) durante sua evolução, às quais não me referi neste capítulo. Atualmente possui não menos que doze enunciados vocálicos e nove ditongos diferentes. Um total de 21 fonemas vocálicos. Como os representar todos na escrita se o alfabeto latino usado pelo inglês possui apenas cinco caracteres vocálicos? Essa é uma das causas do abismo existente entre pronúncia e escrita, que torna o inglês atual difícil de ser aprendido pelo estrangeiro. Praticamente não há regra que permita, a quem está aprendendo, pronunciar corretamente palavras não previamente conhecidas. E o mesmo som pode se apresentar, na escrita, de formas totalmente diversas: O [i] longo aparece em we como e, em bee como ee, em read como ea, em machine como i, em key como ey.
El inglés hablado sufrió transformaciones decisivas (mutaciones consonánticas) durante su evolución, a las cuales no me referí en este capítulo. Actualmente tiene no menos que doce enunciados vocálicos y nueve diptongos diferentes. Un total de 21 fonemas vocálicos. ¿Como los representar todos en la escrita si el alfabeto latino usado por el inglés tiene apenas cinco caracteres vocálicos? Esa es una de las causas del abismo existente entre pronuncia y escrita, que torna el inglés actual difícil de ser aprendido por el extranjero. Prácticamente no hay regla que permita, a quien está aprendendo, pronunciar correctamente palabras no previamente conocidas. Y el mismo son puede se presentar, en la escrita, de formas totalmente diversas: El [i] largo aparece en we como e, en bee como ee, en read como ea, en machine como i, en key como ey.
A ortografia ora vigente remonta ao século 15 e as mudanças na pronúncia, que ocorreram posteriormente, não foram adaptadas. Esse é o segundo motivo pelo qual sound (som, pronúncia) e spelling (escrita da palavra, soletragem) divergem tanto atualmente.
La ortografía ora vigente remonta al siglo 15 y los cambios en la pronuncia, que ocurrieron posteriormente, no fueron adaptados. Ese es el segundo motivo por el cual sound (son, pronuncia) y spelling (escrita de la palabra, soletraje) divergen tanto actualmente.
Existem vários apelos a reforma. Entre eles um, particulamente mordaz, feito pelo escritor Bernard Shaw, que sustentava, por exemplo, que a palavra fish poderia muitíssimo bem ser escrita ghoti, se tomando o som [f] de enough, o som [i] de women e o som [∫] de nation.  Em seu testamento legou considerável soma a quem conseguisse criar um alfabeto capaz de escrever a língua inglesa fonética e inequivocamente. Nasceu assim um shaw alphabet de 49 letras, ou seja, o dobro do latino. Outra tentativa, denominada ITA (initial teaching alphabet), se contenta com 44 letras. Ambos alfabetos são usados em experimentos pedagógicos com classe de principiante. Um terceiro sistema foi proposto em 1959, por Axel Wijk.
Existen varios pedidos de reforma. Entre ellos un, bien mordaz, hecho por el escritor Bernard Shaw, que sustentaba, por ejemplo, que la palabra fish podría muchísimo bien ser escrita ghoti, se tomando el son [f] de enough, el son [i] de women y el son [∫] de nation.  Em su testamento legó considerable suma a quien consiguiese criar un alfabeto capaz de escribir la lengua inglesa fonética y inequívocamente. Nació así un shaw alphabet de 49 letras, o sea, el doble del latino. Otro intento, denominado ITA (initial teaching alphabet), se contenta con 44 letras. Ambos alfabetos son usados en experimentos pedagógicos con clase de principiante. Un tercero sistema fue propuesto en 1959, por Axel Wijk.
É digno de reflexão e de espanto o fato de que uma língua com ortografia tão complicada e arcaica atingira a posição de idioma universal.
 Es digno de reflexión y de espanto el hecho de que una lengua con ortografía tan complicada y arcaica atingiera la posición de idioma universal.
[negrito meu]
[negrito mío]

Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english

Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english

sábado, 24 de setembro de 2011


Exemplar com trilha de traça. Na digitalização quase totalmente recuperado. Sem prejuízo do texto.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011


Casal
O recenseador do IBGE foi recebido por um casal.
— Os nomes?
— João e Maria.
— Um homem e uma mulher. Finalmente encontrei um casal normal, que está cada vez mais raro. Comecemos com a senhora. Dona Maria...
— Não. Não. Não. Sou João. Esta é Maria. É que somos um casal transexual. Fiz operação pra virar homem e meu cônjuge pra virar mulher.
Namoro internético
Ele: — Oi, amor. Aqui em São Paulo o tempo está fresco. Garoando o dia todo.
Ela: — Pois aqui em Montreal só neve e gelo.
Ele: — Irei te buscar, meu xuxuzinho.
Ela: — Ai! Não sei... Ainda gostarás de mim se tem hora que fico enjoada, resmungona?
Ele: — Claro! Não tem problema. Te deixo ficar sozinha nessas horas.
Ela: — Mesmo que eu seja chata e ciumenta?
Ele: — Mas claro, meu benzinho.
Ela: — E se fico reparando em tudo e falando muito?
Ele: — Qualquer defeito tá bom. Não tem problema.
Ela: — Mesmo? Mesmo que eu seja feia?
Ele: — Mesmo que seja feia, chata, burra. Gosto assim mesmo.
Ela: — Mesmo que eu seja homem?
Ele: — !
Caiu a linha...
Turismo internacional
No balcão da agência turística um enorme globo onde os clientes escolhiam o destino.
Um grupo de alemão rodou, rodou e ficou indeciso entre Tailândia e Brasil.
Espanhóis escolheram Serra Pelada, atrás de ouro.
Chegou um ianque acompanhado dum inglês, um australiano, um canadense e outros capachos e ficaram rodando, rodando, indecisos.
— Este. — Disse o inglês.
— Não. Este tem bomba atômica.
— Aqui. — Disse o canadense.
— Não. Este tem força aérea forte. Queremos um bem fraquinho.
— Que tal este? — Sugeriu o australiano.
— Não. Este não tem petróleo.
Rodou, rodou, rodou, apontou a Líbia e chamou o vendedor.
— Este. Invadiremos este aqui!

terça-feira, 20 de setembro de 2011


Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english

Capa do livro do projeto Lovecraft e trechos pra baixar
Amigos,
disponibilizei no www.sitelovecraft.com para descarga algumas coisas do futuro livro como:
Parte da biografia (está 400% maior do que qualquer outra traduzida)
Parte de um poema
Parte da introdução
Parte de um conto
A previsão para lançamento é janeiro. Peço no que for possível ajudem a divulgar - a hora para isto é agora. Quanto mais pessoas mais barato sairá o livro.
Breve, possivelmente divulgaremos o frontispício da capa.
abraços,
Denilson
de3103@yahoo.com.br
É com muita satisfação estamos divulgando também o beta do frontispício da capa,
além dela a biografia está para download, uma pequena parte dela. Na sua totalidade é 400% maior que qualquer biografia já traduzida, emocionante, e fiel em datas e sequência de fatos.
Baixar parte do livro:



segunda-feira, 19 de setembro de 2011


Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english
Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english


Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english

domingo, 18 de setembro de 2011


Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original

Em inglês - in english
Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english
Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Em inglês - in english

Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original

sábado, 17 de setembro de 2011

Action comics 030
Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Detective comics 076
Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
Batman 045
Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
em inglês - in english
Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
em inglês - in english