Junho 2016 - Che Guavira - sítio literário

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Ressubido, correção dum erro
Do acervo de Joanco
Número especial, 100 páginas deste encantador gibi
Muitas vezes o tradutor ajeita uma versão nacional nalguma cena. Mas tem vez que a coisa sai atrapalhada. Na estória O passarinho preguiçoso, os ratinhos acharam tinta amarela pra reformar a casa encontrada. Jerry disse que com o verde da árvore fica bem patriótico. Supõem que a casa abandonada era dalgum passarinho voando ao norte por causa do inverno. Mas logo a seguir, esquecendo que pôs voando ao norte pra ficar coerente com o patriotismo verde-amarelo, chega um passarinho pensando Ufa! Viajar ao norte a cada inverno é uma grande amolação!
Mas pouca trapalhada é bobagem. Quem é Pimpão e quem é Biluca? Os nomes dessas personagens nas páginas 89 e 98 estão invertidos! Numerologia? Na página 43 está conforme a 89.
Vários quadrinhos ficaram coma a lateral truncada porque a revista, que deve ter sido encadernada e depois separada, tem corte que esfolou alguns, mas sem afetar a leitura e pouco afetando o desenho. Alguns foram recuperados 100%. Foi demorado pra restaurar porque muitos cabeçalhos e rodapés tiveram de ser refeitos por causa do corte e buraco de traça que afetou alguns rodapés e miolos, mas sem atingir os quadrinhos.
Exemplo de página com escaneio original:



segunda-feira, 27 de junho de 2016

sábado, 18 de junho de 2016

Se em nosso mundo vive uma humanidade paralela cuma civilização própria?
E se essa humanidade está em grau de desenvolvimento tecnológico notavelmente superior ao nosso?
A resposta a essas perturbadoras perguntas tem de ser, por incrível que pareça, afirmativa. É ao menos a conclusão à qual se chegou depois da leitura deste livro apaixonante que relata a aventura de dois exploradores nas misteriosas regiões da Amazônia, nos contrafortes dos Andes. Durante horas Yan e seu amigo José desceram às entranhas da terra e exploraram grutas e galerias.
Estrangeiro, tua audácia te consentiu a ultrapassar todas as provações. És o primeiro a ter o privilégio de vir voluntariamente. Então saibas que nossa civilização é muito mais avançada que a vossa, pois sempre dominamos a força do Sol e de vosso planeta Terra.
Um livro nas fronteiras do impossível!
De repente o inimaginável aconteceu. Seres pertencentes a uma civilização diferente da nossa. Semideuses que escolheram viver na entranha da terra nos cercaram e falaram.


sexta-feira, 17 de junho de 2016

quinta-feira, 16 de junho de 2016

domingo, 12 de junho de 2016

Do acervo de Joanco
Ressubido

Faltava restaurar a capa
O número 2 do gibi que Joanco escaneava aleatoriamente
Tem de tirar o chapéu pro roteirista. Não se faz mais gibi assim.
Na nota do editor, simulando uma carta de Papai Noel, avisa que em breve a personagem Pepino, que tem sotaque italiano, irá à escola aprender português direito. Porque os leitores (era a época em que gibi era coisa de criança) não gostaram do sotaque. O que hoje seria visto como preconceito lingüístico era banal. Mas, vejamos: Certos puristas põem o sotaque carregado em certos contos, novelas e romances, como forma de mostrar realismo, documentar, mas isso deixa o texto pesado e enfadonho.

Enviado por Márcio Rodrigues


sábado, 11 de junho de 2016

domingo, 5 de junho de 2016

quarta-feira, 1 de junho de 2016

@templatesyard