Janeiro 2012 - Che Guavira - sítio literário

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012


Um colonizador por excelência
Se tivesse de construir fortes pra proteger a Amazônia, seriam construídos nos mesmos lugares que os portugueses fizeram, tal a clarividência do português
General Augusto Heleno Pereira,
ex-comandante militar da Amazônia,
em entrevista ao Canal livre,
rede Bandeirantes
16.05.2011
Conversando cum amigo, eu disse que a independência do Brasil, pura e simples, foi um erro. Que se deveria ter criado uma comunidade lusa, tal qual a comunidade britânica.
Então começou a dizer que Portugal e Espanha são e foram uma nulidade, que não existe invenção portuguesa, que Portugal nunca colaborou com inovação, enquanto Eua tem patente que não acaba mais.
Citei a caravela, o nônio, o pirelióforo, o medicamento zebinix, o sistema de pagamento de portagem via verde, o multibanco, a espada preta de bordo, a balestilha, o método all-on-4.[1] Eua tem muita invenção boa mas também criou a aides e a dengue. Só reprocho Portugal por trazer essa religião horripilante e a escravatura. Mas tá perdoado: Trouxe também o Carnaval!
Disse que o Brasil estaria melhor se fosse colonizado por Holanda, Inglaterra, Itália ou França.
Eu disse que então estaríamos como Guiana, Suriname, Quênia, Serra Leoa, Etiópia ou Haiti. O colonizador inicial não é tão determinante, mais pesam as imigrações. Portugal era a potência medieval e a Inglaterra o país mais atrasado da Europa. Inglaterra era a albânia da época.
Eua não foi colonizado pela Inglaterra. O rei teve medo de avançar ao oeste, então os ianques, sob plano maçônico, resolveram avançar por conta própria.
Inglês não sabe colonizar, nunca foi colonizador. Sabe dominar, controlar. Colonizar não. Já o holandês é ainda pior. Extremamente racista, é odiado por todas as antigas colônias. São odiados pelo indonésios e pelos sul-africanos pela extrema crueldade. Na copa 2006 esses antigos colonizados torceram contra os holandeses. Enquanto Brasil, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde, por exemplo, chamam os portugueses de seus patrícios e torcem por eles como seu segundo país. Esse é um fator de união que os países hispano-americanos não têm. Quando, numa página de amigos chilenos, colombianos, etc, comentei que chamamos os portugueses de nossos patrícios sobreveio um silêncio de pasmo seguido de um bá!, uma expressão de mofa e espanto. Jamais um hispano-americano chamará os espanhóis de seus patrícios e nem consegue conceber tal coisa.
Antônio Leite Pessoa, no livro A origem da palavra Brasil, afirmou que Portugal é um exemplo, único na história, dum pequeno país, com escassa população, conseguir colonizar e manter uma área tão grande, dando origem a um país continental chamado Brasil. Isso se deve ao português não ser racista, não fazer questão de instalar famílias, não ter medo de se transformar. Miscigenando com índios e depois com escravos negros, conseguiu uma elasticidade impossível doutra forma. É graças a Portugal, especialmente à visão geopolítica de dom João VI, que o Brasil se manteve uno, enquanto os hispano-americanos se dividiram numa série de republiquetas: Geopolítica ianque-maçônica, de fracionar pra enfraquecer e dominar.
Os portugueses queriam unir Moçambique a Angola, criar uma espécie de Brasil na África. Só não deu porque os ingleses atrapalharam. Portugal é um país minúsculo que pensa grande, enquanto a Inglaterra só criou fragmento. Eua não é produto inglês, enquanto Canadá e Austrália são terras desérticas. E não adianta aquele bordão furado de que só vinham degredados. Não vinham presos criminosos. Vinham artistas marginalizados, refugiados da Inquisição, opositores políticos. Austrália era, de fato, uma prisão...
Seria muito lento o avanço em regiões de mata, especialmente Amazônia, sem a ajuda do índio. Foi o índio quem ensinou as rotas, quais os vegetais comestíveis, como sobreviver no inferno verde. É bem diferente de avançar no deserto matando índio e bisão e fazendo bangue-bangue.
Infelizmente, sob manipulação maçônica, o Brasil fez essa independência impetuosa, adolescente. Pra reforçar essa ruptura se criou a piada sobre português, derivada da piada sobre alentejano em Portugal. Mas a piada virou um belo tema folclórico e deve ser preservada, ainda mais que existe a contrapartida: Lá contam piada sobre brasileiro. Espanha e Portugal perderam suas colônias por serem nações católicas. A nova ordem era e é em benefício das nações protestantes. Através da imprensa se popularizou a estereotipada e caricata, pra reforçar a desunião. Não é por ser o dominador que se fez a piada e sim pra reforçar a secessão.
Elogiou o Japão e a Inglaterra, tão pequenos quanto. Que o Japão, com muito mais catástrofe, está muito melhor. Que é melhor admirar o Japão. Eu disse que esses são exemplos de países populosos, que precisavam se livrar do excesso de gente, os instalando em novas terras. Que um país de população pequena não tem como competir economicamente com um de grande população. Eu disse pra consultar a área e a população pra comparar. Rapidamente consultou na internete e concordou comigo:
— Realmente, o Japão é quatro vezes maior e é apinhado de gente.
Disse que Portugal era capacho da Inglaterra.
Eu disse que sendo pequeno e escassamente povoado, Portugal foi extremamente esperto em jogar magistralmente com a rivalidade anglo-espanhola. Apoiado pela Inglaterra conseguiu se manter independente da Espanha. Os ingleses e franceses, enfraquecidos pela guerra dos cem anos, ficaram muito tempo afastados de colonizar as Américas. Portugal precisava do apoio militar inglês e os ingleses se beneficiar dos segredos marítimos portugueses. Dos países ibéricos somente Portugal conseguiu se manter independente do império espanhol. Bascos, leoneses, catalães, etc, não conseguiram se livrar do domínio de Castela. Os catalães, por exemplo, poderiam jogar com a França, outro rival da Espanha, e assim ser independente. Os bascos poderiam se aliar à Holanda. Mas não. Quem conseguiu isso foi só Portugal, mesmo.
 Quando Napoleão invadiu a península ibérica a Espanha foi ocupada mas dom João foi enrolando os franceses. Quando Napoleão chegou viu que foi enganado. A capital já não estava mais ali. Escoltada por navios ingleses a corte portuguesa se mudara ao Rio de Janeiro, deixando napoleão a ver navios.
A esperteza lusitana já se manifestava no primórdio da nação. A ordem do Templo, dos famigerados cavaleiros templários, a mais poderosa e rica da idade média, foi exterminada pelo monarca francês Felipe O Belo. Só os portugueses não se curvaram à pressão pra aderir à perseguição. E a ordem se refugiou em Portugal. Foi assim que os portugueses herdaram os segredos das rotas marítimas, das terras cuja existência era secreta.
Herdeiro dos templários, Portugal mantinha a fachada católica pra sobreviver no cenário europeu. Aqui a Inquisição foi muito mais branda, e o português não era matador de índio como o espanhol.
A esperteza lusitana também se evidenciou quando treinaram Colombo a enganar os espanhóis, os fascinando com a descoberta de terras desconhecidas nas Américas, deixando assim Portugal livre pra sozinho explorar o oriente.
Eu disse que graças a dom João temos um Brasil uno, o jardim botânico, a biblioteca nacional e um só idioma em vez de dois como no Paraguai.
Disse que tudo o que Portugal fez foi explorar o ouro, levar nossas riquezas.
Mas não foi o que fizeram Inglaterra, Holanda, Espanha, Eua? Eua não enriqueceu a custa de explorar as Américas, de tráfico de arma e de guerra? E aqui não somos campeões mundiais de pagar imposto? Não temos internete, iptu, água, luz, carro, telefone caríssimos? Não somos brasileiros explorados pelo Brasil? Nossos políticos não são mais gastadores que a família real inglesa? Muito mais! O mundo é assim. Só os portugueses têm de ser diferentes?
Não Inglaterra, Espanha nem Eua. Portugal é uma nação suigêneris, singular. Só tem paralelo em pujança no único império que desde a antigüidade nunca ruiu: A China.

Comentário 1:

Como Português (e sem qualquer tipo de assomo de nacionalismo bacoco), quero dar os Parabéns por este magnifico texto. Acrescentaria a nossa revolução de 25 de Abril de 1974. Um case study em muitas universidades em todo mundo. Uma revolução brilhante do ponto de vista estratégico sem derramar sangue e onde os jipes com os militares paravam nos sinais vermelhos (verdade)
Recomendo este filme do youtube http://www.youtube.com/watch?v=U2pPSAAFSbk 
Comentário 2:

A pena é a divulgação deste tipo de informação ficar restrito. Ótima postagem. Obrigado.


domingo, 29 de janeiro de 2012


Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
em inglês - in english

● Que exagerado aumento do IPT-ui! em Campo Grande. Vai custando os olhos da cara. E ainda querem que se pague a vista! Tanto é que tem propaganda institucional se justificando. A consciência pesa. Pesa mais meu bolso.
● Cadê a ética? Uma tevê local fez uma reportagem sobre a comida de soja, com toda cara de matéria-paga. Quando o elogio é demais o vaidoso desconfia. Só elogio, que faz bem, que tem mais proteína que a carne, patati-patatá. E por que não fala a verdade? Que a soja é venenosa e pra ser consumida tem de passar alguma fermentação. Já se constatou que causa até tiroidismo. Um criador de porco deu soja aos bichos e foram ficando doentes, só se recuperando quando ela foi retirada.
Idem sobre a insistência em aplicação de flúor, seja na água ou em farinha. Flúor é veneno, e um dos efeitos mais interessantes ao poder é que a população fica apática, sem vontade de protestar. Por isso a mídia faz elogio ao flúor, dizendo que combate a cárie. Deram prêmio a umas pesquisadoras no Pará, por inserir flúor na farinha de mandioca, quando deveriam ganhar uns meses de cadeia.
● E se disse que não tem comprovação o benefício do cloreto de magnésio. Posso dizer o que se passou comigo. Minha coluna era um problema. Era só dormir mal ou sentar de mau jeito e vinha aquele estiramento muscular que demora semanas pra sarar. Foi só começar a tomar a dose diária do cloreto e acabou o sofrimento. A coluna não se curou mas qualquer estiramento sara rapidinho, no mesmo dia. O resultado é que a coluna não incomoda mais. É como se não tivesse o desvio. Também acabou a dor no pulso por uso excessivo do mause. Um dia, no supermercado, carreguei um pacote, ficando com o pulso estirado. Isso demoraria uma semana pra normalizar. Pois poucas horas depois era como se nada ocorrera. Creio que o cloreto de magnésio ajude a prevenir a LER (lesão por esforço repetitivo).
● Falando mais um pouco sobre direito autoral. Só quem é autor sabe como o sistema é fechado. Tentes publicar uma tira em jornal, um livro, gravar uma canção, apresentar um quadro na tevê... Por exemplo: Dar uma olhadinha no catálogo da editora Record, por exemplo, dentre tantas outras. O que tem de literatura de qualidade? Muito pouco. Quase tudo bestséler, muito lixo. Exatamente como nossa internete, nosso asfalto, etc.: Caro e ruim. Se fala tanto em democracia mas todos os acessos à produção cultural são fechados, nada têm de democráticos, muito menos critério de qualidade. É tudo muito obscuro, assim como o mundo do esporte. Então toda alegação sobre violação de direito, pirataria, é ilegítima, imoral, injusta. A lei precisa ser mudada. Ainda mais que com a internete é preciso um meio instantâneo de registro. Toda a burocracia da Biblioteca Nacional, com preenchimento de formulário, pagamento de R$20,00, rubrica e numeração em todas as folhas está obsoleta. É como se a lei de quando foi inventado o automóvel, de que teria de ir buzinando e na frente tinha de ir correndo um sujeito agitando uma bandeira, ainda estivesse em vigor e de repente pairasse a ameaça de que as montadoras e concessionárias que não tivessem um agitador de bandeira pra ser contratado junto à compra do carro fossem megauploadas, ou seja, fechadas.
● Tão metendo o pau no bigbró, com toda razão. Se proibiram a banheira do Gugu, que era divertida e nada tinha de mau, por que não proíbem esse lixo, essa aberração, esse programa abominável do Big Brother? E o apresentador se enterrou nessa. Será que não tem vergonha? Sua imagem indelevelmente associada a esse lixo! Mas é só ele? Tem muito mais lixo. Tem o Zorra Total, tem essas cantoras de música esquisita, umas mais outras mais ou menos depravadas. Tem reportagens que só mostram mundo-cão boca-do-lixo, tem música eletrônica, tudo lixo.
Uma coisa o programa ser ruim, fraco. Outra, muito diferente, é ser uma aberração, promovendo falsos valores e legitimando comportamentos imbecis e perversões sexuais.
Porque não é possível a televisão ter só conteúdo bom, só programa inteligente. Tem de ter válvula de escape, alternativa, outras formas. Ninguém consegue ser criativo e inteligente o tempo todo. Muito menos a televisão ter programas bons o tempo todo, o dia inteiro. Todo mundo tem de ter seus momentos de ócio, brincar, dormir. O que não pode é a coisa virar deboche, cinismo, como está acontecendo: Censurar brincadeira inocente só porque aparece alguma teta (puritanismo vitoriano exacerbado) e apresentar comportamento aberrante como normal só porque não explícito.
O que não pode é o mesmo conteúdo, seja estúpido ou inteligente, o tempo todo. Ninguém protesta contra o excesso do dito esporte, que na verdade é desporto. Futebol tem o tempo todo. Nada tem de mal ter um ou outro mas o tempo todo é excessivo. O tal desporto é uma coisa emburrecente e não deveria ser tão incentivado. Mas como é uma indústria poderosa...
Há quanto tempo não vemos as mulatas do Sargenteli, um bom sambinha, as chacretes (não aquelas dançarinas que ficam só lá no fundo, longe, naquela dancinha insossa...)
● Em panfletos e programas políticos na tevê sempre tem quem fale em formar cidadãos críticos. Mentira! Tudo o que um político não quer é cidadão crítico.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012


Sobre o autor:
O blogue http://esqualquercoisa.blogspot.com/2009_04_07_archive.html informa que o livro data de 1954

Pierre Daninos (26 de Maio de 1913, Paris - 7 de Janeiro de 2005)  foi um escritor e humorista francês. Escreveu Os cadernos de major Thompson, publicado em 1954 e seguido de muitas seqüências. Os livros da série fingiam ser as observações dum oficial britânico aposentado que vivia na França e consistiam em espirituosa coleção de comparação entre a sociedade francesa e britânica. Daninos é também o autor de Certo senhor Blot, uma crítica do gosto e hábitos do francês de classe média.
Os cadernos de major Thompson foi filmado por Preston Sturges em 1955. O filme foi lançado em Eua sob o título Os franceses são uma raça engraçada.
Pierre Daninos era o irmão do empresário Jean Daninos, que produziu os carros de luxo Facel Vega.

Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
em inglês - in english

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012


Essa SOPA não é sopa
Esa SOPA no es sopa
A maior revolução e evolução dos tempos conhecidos e os nababescos persistem na síndrome de Maria Antonieta. Pra conservar seu reinado e sua pompa manter o populacho enfeudado e nunca chegar ao século 20.
Estamos viviendo la mayor revolución y evolución de los tiempos conocidos. En cuanto a eso los maharajás, los privilegiados, que viven de derecho autoral, persisten en el síndrome de María Antonieta, que para conservar su reinado y su pompa mantenía el populacho enfeudado para nunca llegar al siglo 20.
O direito autoral é uma farsa. Só pode ser usado por uns poucos privilegiados, peixinhos da indústria. O sujeito pode fazer a mais linda canção, escrever os contos mais geniais, ser o melhor pintor do mundo mas nunca terá chance se não fizer parte da panelinha dos queridinhos do sistema. Se não for apadrinhado, se não tiver um mecenas, morrerá anônimo.
El derecho autoral es una farsa. Solo puede ser usado por unos pocos privilegiados, pececitos de la industria. El tipo puede hacer la más linda canción, escribir los cuentos más geniales, ser lo mejor pintor del mundo pero nunca tendrá chance si no forma parte del club cerrado de los privilegiados del sistema. Si no tiene padrino, si no tiene un mecenas, morirá anónimo.
O direito autoral, como está, é só pra privilegiados, exatamente como o bem-estar na época do antigo regime francês, do rei-sol. Só têm vez os de conteúdo imbecilizante, os bigbrós e zorratotais da vida, que não incomodam os manipuladores.
El derecho autoral, como está, es solo para privilegiados, exactamente como el bienestar en la época del antiguo régimen francés, del rey-sol. Solo tienen oportunidad los de contenido imbecilizante, los gran hermanos de la vida, que no incomodan a los manipuladores.
Na indústria farmacêutica o inventor tem o direito de exclusividade durante 7 anos. Então podem surgir os genéricos. Por que na área cultural uma obra só cai em domínio público após 70 anos da morte do autor? Pura e simplesmente. Sem mais regra. O dono do direito não tem compromisso de manter a obra no mercado, de garantir o acesso do público à obra, de a conservar. Nada. É como se um pai pudesse mandar no filho enquanto um dos dois exista, o possa guardar no frízer se a situação financeira vai mal. Um antigo colega de escola chega pra o visitar? Não. Está indisponível agora, e talvez até sempre.
É assim, bem feudal, a lei de direito autoral.
En la industria farmacéutica el inventor tiene el derecho de exclusividad durante 7 años. Entonces pueden surgir los genéricos. ¿Por qué en el área cultural una obra solo cae en dominio público después de 70 años de la muerte del autor? Sin más. Sin más regla. El dueño del derecho no tiene compromiso de mantener la obra en el mercado, de garantizar el acceso del público a la obra, de conservarla. Nada. Es como si un padre pudiese mandar en el hijo en cuanto uno de los dos exista, o pueda guardar en el frízer si la situación financiera va mal. ¿Un antiguo colega de escuela llega para visitarlo? No. Está indisponible ahora, y tal vez hasta siempre.
Es así, bien feudal, la ley de derecho autoral.
Há muitos anos baixei uma coletânea de música havaiana. Coisa que nunca vi propaganda, não sabia que existia. Até hoje não vi. Não está no mercado. E nunca estará. Graças a ter baixado pude conhecer algo que nem sabia que existia. Portanto, mesmo se não baixasse nunca compraria. Prejudiquei o dono do direito? Claro que não, porque não está nem estará no mercado e, de qualquer forma, nunca o compraria. Se é algo que eu nunca compraria mesmo, o dono do direito nunca se beneficiaria.
Hace muchos años bajé una colectánea de música havaiana. Cosa de la que nunca vi propaganda, no sabía que existía. Hasta hoy no vi. No está en mercado. Y nunca estará. Gracias a haber bajado pude conocer algo que ni sabía que existía. Por tanto, mismo si no bajase nunca compraría. ¿Perjudiqué el dueño del derecho? Claro que no, porque no está ni estará en el mercado y, de cualquier forma, nunca lo compraría. Si es algo que yo nunca compraría mismo, el dueño del derecho nunca se beneficiaría.
O que falta é um sistema que seja aberto a todos, não só a privilegiados, que tenha compromisso com preservação, divulgação, acesso. Acessibilidade, palavra tão na moda só na calçada?
Lo que falta es un sistema que sea abierto a todos, no solo a privilegiados, que tenga compromiso con la preservación, divulgación, acceso. Accesibilidad, ¿palabra tan de  moda solo en la calzada?
Colecionadores guardam egoisticamente preciosidades imensas em livros e gibis. Nenhuma lei os obriga a pôr no mercado ou dar acesso dalguma forma. Vão colecionando impulsivamente, especulando igual no mercado imobiliário, enquanto o papel, que dura no máximo cem anos, vai se amarelando, ficando quebradiço, até se pulverizar. Então ninguém mais terá acesso. Preservacionismo só na ecologia?
Coleccionistas guardan celosamente preciosidades inmensas en libros e historietas. Ninguna ley los obliga a poner en el mercado o dar acceso de alguna forma. Van coleccionando impulsivamente, especulando igual en el mercado inmobiliario, en cuanto el papel, que dura lo máximo cien años, va se amarilleando, quedando quebradizo, hasta pulverizarse. Entonces nadie más tendrá acceso. ¿Preservacionismo solo en la ecología?
Ninguém é obrigado a cumprir uma cota de escanear, imprimir, abrir a consulta. Nada. É bem medieval a coisa.
Nadie está obligado a cumplir una cota de escanear, imprimir, abrir a consulta. Nada. Es bien medieval la cosa.
O direito autoral, como está, é um sistema absolutista, totalitário, feudal. Só as grandes corporações conseguem o usar, portanto detêm monopólio. O restante fica só na fantasia. Não é sopa!
El derecho autoral, como está, es un sistema absolutista, totalitario, feudal. Solo las grandes corporaciones consiguen usarlo, por tanto detienen monopolio. El restante queda solo en la fantasía. ¡No es sopa!
É como um sujeito que inventa um sintetizador, um aparelho que cria tudo o que se desejar, transformando as pessoas em deuses. Então as elites, os detentores do poder na sociedade, o eliminam e empastelam a invenção. Se parassem pra pensar perceberiam que na nova realidade deixariam de ser superiores mas teriam um poder e bem-estar inimaginavelmente maior do que antes. Nem precisariam tanto esforço em manter os outros submissos sob técnicas complexas de lavagem cerebral e persuasão. Mas é tão forte o condicionamento que toda mudança é traumática. É como o carroceiro que quer abortar a indústria automobilística pra não vender menos carroça e não saber o que fazer com os cavalos.
Es como un sujeto que inventa un sintetizador, un aparato que crea todo lo que se desea, transformando las personas en dioses. Entonces las elites, los detentores del poder en la sociedad, lo eliminan y empastelan la invención. Si parasen para pensar percibirían que en la nueva realidad dejarían de ser superiores pero tendrían un poder y bienestar inimaginablemente mayor de lo de antes. Ni precisarían tanto esfuerzo en mantener los otros sumisos bajo técnicas complejas de lavado cerebral y persuasión. Pero es tan fuerte el condicionamiento que todo cambio es traumático. Es como el carrocero que quiere abortar la industria automovilística para no vender menos carroza y no saber lo que hacer con los caballos.
As pessoas parecem não perceber que estamos numa encruzilhada histórica, que os libertários de ontem são os nababos de hoje e que a decisão entre ser Maria Antonieta ou Harry Ford tem de ser tomada agora.
Las personas parecen no percibir que estamos en una encrucijada histórica, que los libertarios de ayer son los maharajás de hoy y que la decisión entre ser María Antonieta o Harry Ford tiene de ser tomada ahora.
A reação popular dirá se somos gnus ou javalis.
La reacción popular dirá si somos ñúes o jabalíes.
revisión e María Paz

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
em inglês - in english

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012


Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
em inglês - in english

sábado, 7 de janeiro de 2012


● Então o Santos Futebol Clube encerrou o time feminino pra cortar despesa? Se é pra cortar despesa não é o feminino o mais oneroso. O time feminino é o que ganha mais título e o que têm mais craque, mesmo com Ganso e Neymarta. Eta machismo brabo!
Comunicado
Nunca deixo de responder a mensagem. Se alguém mandou imeio e não teve resposta é porque não recebi. Muitas vezes fico em papo de aranha com o jeito gugol de anexar mensagem dentro doutra, quando cai na caixa de espã, etc.
Uma vez, quando mudei de provedor e de imeio, uma correspondente disse que recebeu uma resposta minha a uma mensagem antiga. Não sei por quais mistérios do mecanismo, a resposta ficou retida, como se grudada no fundo da caixa postal, só sendo liberada quando extingui a conta. Não era Gugol ainda.

● Essa primavera árabe tá com cara é de inverno nuclear. Cruz-credo! Vade retro!
● Sempre me espantei com certas reportagens e mesmo anúncios que fazem publicidade duma feira, dum produto, mas não dão endereço. Corro pegar caneta e papel, esperando endereço, telefone, conexão internética. Nada. A reportagem deixa claro que a coisa existe mas não informa onde, quando nem como. Mesmo nos apelos a voluntário na enchente catarinense. Pediam voluntário mas não davam telefone nem endereço pro sujeito se apresentar. Depois não gostam que chame de imprensa marrom.
● Foi só dar uma zapeada e tava passando um desses incrivelmente estúpidos filmes de cobra gigante que se comporta como demônio. E bem ali mais uma pérola (Não sei se é trapalhada do roteirista, do tradutor ou do dublador): O senhor está preso por contrabando ilegal.
Não sabia que já legalizaram o contrabando.
● Tem gente que acha que a árvore natalina se desmonta após o reveião. Não, minha gente. A árvore se deve desmontar após o dia de Reis, após 6 de janeiro.
● Lamentável as cenas de baixaria entre uns blogues hispânicos. Os caras brigando por que um posta como seu escaneio doutrem; baixa, imprime e vende como raridade e depois protesta porque o escaneador põe marca dágua pra evitar isso. E ficam se ofendendo, inserindo ofensas mesmo nos gibis postados. E uma briguinha de nacionalismo. É EDA, Estados Desunidos da América.

Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
em inglês - in english

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Colaboração de Joanco
Enviado por não mais estar disponível no sítio original
em inglês - in english

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

terça-feira, 3 de janeiro de 2012



Acredite se for trouxa
2012 é o fim da picada
Que los crean los tontos[1]
2012 es el cúmulo
Muitos artigos falam da tal profecia maia, ou que o calendário maia termina em 2012. Mas se existe algum calendário, coletânea, índice, o que seja, tem de começar e terminar nalguma data. É impossível, por exemplo, uma coleção de previsão, que nunca termine. Teria de ter um número infinito de página.
Muchos artículos hablan de la tal profecía maya, o que el calendario maya termina en 2012. Pero si existe algún calendario, antología, índice, lo que sea, hay que empezar y terminar en alguna fecha. Es imposible, por ejemplo, una colección de previsión, que nunca termine. Tendría de tener un número infinito de página.
Ante a chegada do ano 1000 muitas pessoas venderam tudo pra aguardar o fim do mundo. São inúmeros exemplos de previsão final. A catástrofe da Guiana e tantas outras. Durante a guerra fria muitos jovens europeus viviam apáticos, desiludidos, só aguardando a inevitável guerra nuclear que a qualquer momento se desencadearia entre Eua e Urs.
Ante la llegada del año 1000 mucha gente vendió todo para aguardar el fin del mundo. Son innumerables ejemplos de previsión final. La catástrofe de Guiana y tantas otras. Durante la guerra fría muchos jóvenes europeos vivían apáticos, desilusionados, solo aguardando la inevitable guerra nuclear que a cualquier momento se desencadenaría entre Eua e Urss.
Charles Berlitz, autor de O triângulo das Bermudas, O mistério da Atlântida e muitos outros temas de mistério, é autor de 1999: Dia do juízo final. Rolim Moura, 1999: Ano do fim, segundo Nostradamus, Bóris Cristoff, A grande catástrofe de 1983. Na capa traseira do livro:
Charles Berlitz, autor de El triángulo de las Bermudas, El misterio de Atlántida y muchos otros temas de misterio, es autor de 1999: Día del juicio final. Rolim Moura, 1999: Año del fin, según Nostradamus, Boris Cristoff, La gran catástrofe de 1983. En la portada trasera del libro:
A grande catástrofe de 1983
Um livro apocalíptico!
A elaboração duma teoria que prevê a catástrofe mundial que acontecerá em 1983
A superconjunção dos planetas, na qual a atividade solar será excepcional e haverá terremoto de proporção devastadora
La gran catástrofe de 1983
¡Un libro apocalíptico!
La elaboración de una teoría que prevee la catástrofe mundial que ocurrirá en 1983
La superconjunción de los planetas, en la cual la actividad solar será excepcional y habrá un terremoto de proporción devastadora
General sir John-Hackett e outros conselheiros da Otã escreveram, publicado no Brasil nada mais nada menos que pela editora Biblioteca do Exército, A terceira guerra mundial: Agosto de 1985.
 El general sir John-Hackett y otros consejeros de la Otán escribieron, publicado en Brasil nada más  y nada menos que por la editora Biblioteca do Exército, La tercera guerra mundial: Agosto de 1985.
Sensitivo previu a queda da torre de Pisa
A famosa torre de Pisa, que pesa 14.000t, cairá no ano de 1992, de acordo com Tonio Venaro, um sensitivo conhecido em toda a região toscana da Itália por suas geralmente acertadas previsões. Venaro, que previu com 3 meses de antecedência a última grande inundação de Florença, disse que a inclinação da torre se deve ao enorme número de poços artesianos de grande antigüidade existente ao redor, e que, infelizmente, existe pouca probabilidade de que o avanço da engenharia atual possa fazer algo pra impedir a queda do monumento.
Síquico previó la caída de la torre de Pisa
La famosa torre de Pisa, que pesa 14.000t, caerá en el año de 1992, según Tonio Venaro, un síquico conocido en toda la región toscana de Italia por sus generalmente acertadas previsiones. Venaro, que previó con 3 meses de antecedencia la última gran inundación de Florencia, dijo que la inclinación de la torre se debe al enorme número de pozos artesianos de gran antigüedad existente alrededor, y que, infelizmente, existe poca probabilidad de que el avance de la ingeniería actual pueda hacer algo para impedir la caída del monumento.
A torre de Pisa começou a ser construída em 1173, a partir dum projeto de Bonami Pisano, e em 1185, antes de ser terminada, sofreu súbita inclinação, o que fez com que fosse terminada apenas no século 14. Tem 8 pisos, 54m de altura e a inclinação atual em relação a uma perpendicular é de 6,12m. Os modernos aparelhos de medição instalados na base detetam que realmente o grau de inclinação aumenta ano a ano mas os especialistas predizem que se não houver alteração na velocidade de inclinação a construção durará bem mais do que o sensitivo previu. Venaro disse que o famoso Duomo, de mais de 1000 anos, também corre perigo.
La torre de Pisa empezó a ser construida en 1173, a partir de un proyecto de Bonami Pisano, y en 1185, antes de ser terminada, sufrió una súbita inclinación, lo que hizo con que fuese terminada apenas en el siglo 14. Tiene 8 pisos, 54m de altura y la inclinación actual en relación a una perpendicular es de 6,12m. Los modernos aparatos de medición instalados en la base detectan que realmente el grado de inclinación aumenta año a año pero los especialistas predicen que si no hay alguna alteración en la velocidad de inclinación la construcción durará bastante más de lo que el sensitivo previó. Venaro dijo que el famoso Duomo, de más de 1000 años, también corre peligro.
Revista Planeta 088, 01.1980
Todo esse apocaliptismo delirante que nos impõem, sempre renovando, é uma forma de manipulação política. Deixando as pessoas angustiadas, temerosas, as deixando também esperançosas, dóceis, ainda mais sugestionáveis.
Todo ese apocaliptismo delirante que nos imponen, siempre renovando, es una forma de manipulación política. Dejando la gente angustiada, temerosa, dejándola también esperanzada, dócil, aún más sugestionable.
Vejamos trechos de O estranho mundo dos profetas, de Gérard de Sède:
Veamos trechos de El extraño mundo de los profetas, de Gérard de Sède:
 [...]
Também a João XXIII se atribuíram profecia. Um livro, publicado recentemente, relata a esse propósito algo que é ao menos surpreendente. Parece que esse papa, quando ainda era o cardeal Ângelo Roncalli, núncio apostólico na Turquia, foi iniciado, em 1935, nos mistérios rosa-cruz por um ancião. Assim conheceu os segredos da ordem do Templo doutros que eram conhecidos por Calhostro, e de dois livros enigmáticos, o livro T e o livro M. Adquiriu, então, o poder de predizer o futuro, anunciando, sucessivamente, sua elevação ao pontificado, a eleição de seu sucessor Paulo VI, a bomba de Hiroxima, a criação do estado de Israel, o assassínio de presidente Kennedy... e o fim do mundo em 2033.
También a Juan XXIII se le atribuyeron profecías. Un libro, publicado recientemente, relata a ese propósito algo que es al menos sorprendente. Parece que ese papa, cuando aún era el cardenal Ángelo Roncalli, nuncio apostólico en Turquía, fue iniciado, en 1935, en los misterios rosa-cruz por un anciano. Así conoció los secretos de la orden del Templo de otros que eran conocidos por Callostro, y de dos libros enigmáticos, el libro T y el libro M. Adquirió, entonces, el poder de predecir el futuro, anunciando, sucesivamente, su elevación al pontificado, la elección de su sucesor Paulo VI, la bomba de Hirojima, la creación del estado de Israel, el asesinato de presidente Kennedy... y el fin del mundo en 2033.
De novo, é lamentável que esse surpreendente livro fora publicado quando todos os acontecimentos já estavam realizados. Melhor dizendo, todos menos o último. Mas não devemos entrar em pânico. Há muito se anuncia o fim do mundo mas ele teima em continuar.
De nuevo, es lamentable que ese sorprendente libro fuera publicado cuando todos los acontecimientos ya estaban realizados. Mejor dicho, todos menos el último. Pero no debemos entrar en pánico. Hace mucho se anuncia el fin del mundo pero él persiste en continuar.
Página 94
[...]
Tudo isso justifica plenamente a observação feita por Talleyrand: Na política, o que se acredita é muito mais importante que o que é verdadeiro. A autora da primeira de todas as profecias políticas, Cassandra, que falava a verdade e não encontrava quem acreditasse, percebeu isso a carne própria.
Todo eso justifica plenamente la observación hecha por Talleyrand: En la política, lo que se cree es mucho más importante que lo que es verdadero. La autora de la primera de todas las profecías políticas, Casandra, que hablaba la verdad y no encontraba quien creyese, percibió eso en carne propia.
Entretanto, Cassandra, profetisa política, às vezes sincera e lúcida, é exceção. Em geral nunca desconfiamos o bastante de profetas políticos, especialmente quando pretendem anunciar um evento iminente, porque fatores em excesso podem influenciar sua sinceridade.
Entre tanto, Casandra, profetisa política, a veces sincera y lúcida, es excepción. En general nunca desconfiamos lo bastante de profetas políticos, especialmente cuando pretenden anunciar un acontecimiento inminente, porque factores en exceso pueden influenciar su sinceridad.
Primeiro, existe o que os anglo-saxões chamam de wishful thinking, a tendência a considerar nossos desejos uma realidade. Nesse caso as profecias políticas proporcionam, em vez de informação sobre o futuro, apenas informação sobre a opinião de seu autor.
Primero, existe lo que los anglo-sajones llaman de wishful thinking, la tendencia a considerar nuestros deseos una realidad. En ese caso las profecías políticas proporcionan, en vez de información sobre el futuro, apenas información sobre la opinión de su autor.
Em seguida existe, sobretudo, o fato de que, ao anunciar às pessoas um acontecimento que esperam ou que temem, é possível influenciar seu comportamento. Por isso as profecias políticas foram, em todos os tempos, um meio poderoso pra imobilizar os povos no fanatismo e os manipular no sentido desejado pelo profeta e pelos poderosos aos quais ele servia. Da mesma forma, as profecias freqüentemente criavam as condições pra sua própria realização. Nesse caso tinham, de certa forma, o papel de pesquisa de opinião, que são as profecias políticas de nossa época. As pesquisas de opinião pressionam o eleitor a auxiliar uma vitória que já é anunciada como certa e, predeterminando a escolha, falseiam as regras do jogo. Por isso as pesquisas de opinião são proibidas, em muitos países, nas semanas que precedem a eleição.
En seguida existe, sobre todo, el hecho de que, al anunciar a las personas un acontecimiento que esperan o que temen, es posible influenciar su comportamiento. Por eso las profecías políticas fueron, en todos los tiempos, un medio poderoso para inmovilizar los pueblos en el fanatismo y manipularlos en el sentido deseado por el profeta y por los poderosos a los cuales él servía. De la misma forma, las profecías frecuentemente creaban las condiciones para su propia realización. En ese caso tenían, de cierta forma, el papel de encuesta de opinión, que son las profecías políticas de nuestra época. Las encuestas de opinión presionan el elector a auxiliar una victoria que ya es anunciada como cierta y, predeterminando la elección, falsean las reglas del juego. Por eso las encuestas de opinión son prohibidas, en muchos países, en las semanas que preceden la elección.
Página 154


[1] Es un retruécano en portugués, del título brasilero Acredite se quiser, creas si quieras (Ripley’s believe ir or not!), en castellano Esto es increíble! y Aunque usted no lo crea

@templatesyard