sexta-feira, 26 de agosto de 2016


Coleção de cartão-postal de Joanco

 


Conspiranóicos x conformistanóicos

Os segredos perdidos da arca sagrada, de Laurence Gardner, editora Madras, 2007, tem interessantes teorias sobre a arca da aliança. O termo aliança seria má tradução, significando na verdade presença, testemunho.
O autor concluiu que o faraó Aquenatão e Moisés são a mesma pessoa. Isso lança novas idéias nas peripécias tremendamente rebuscadas da peregrinação no deserto.
O capítulo sobre o ouro é muito interessante. Disse que Moisés derreteu o bezerro de ouro não porque era idolatria mas pra fazer a pedra filosofal, que seria ouro monoatômico de alto espim, um pó branco que ocorre naturalmente em vulcanismo e pode ser sintetizado. Glauder disse que monoatômico não pode ser porque seria muito instável. Teria de ser um estado alotrópico do ouro biatômico.
Albigense (Albi gens) Linhagem dos elfos
Belém (Teth le hem) Casa do pão
Jerusalém (Yuru salém) Cidade da paz
Malauí (hoje predominante o vocábulo inglês Malawi) Cidade dos levitas
Maná (Ma na?) O quê é?
O maná seria a pedra filosofal, pois quando Moisés (Aquenatão) derreteu o ouro fez o pó branco e pôs na água pro pessoal beber.
A pedra filosofal é o elixir da juventude. Dali a lenda da fonte da juventude.
O velocino de ouro na verdade é um texto alquímico. Numa série de erro de tradução o que seria um manuscrito em couro, como os do mar Morto, de Cunrã, se estereotipou à lã e a novelo.
O conceito de Maria como virgem é erro e tradução, pois significaria simplesmente moça e não virgem no sentido atual.
No capítulo falando sobre a linhagem de Jesus quase todas as vezes que aparece a palavra descendência deveria grafar ascendência.
Outra derrapada feia foi no apêndice cronológico, página 294, onde disse:
Egito conquistado pelos romanos. 3000 anos de dinastias faraônicas terminaram com o suicídio de Cleópatra VII em -30.
Mas como?!
Cleópatra VII não era egípcia e sim grega da Macedônia. As dinastias faraônicas havia muito já estavam extintas. Cleópatra VII foi a última governante grega.
Isso me fez me lembrar duma risível declaração de Joãosinho Trinta na era dos campeonatos da escola de samba Beija-flor, que os egípcios eram negros, que Cleópatra era negra…
Temos a efígie de Cleópatra VII em moeda. Muito diferente de Elizabeth Taylor mas não era negra. Tudo bem que os egípcios antigos podem ter sido negros, como já se aventou que os hebreus originais idem, mas Cleópatra está muito mais perto de nossa era que da era faraônica.
Creio que a turma de Moisés aproveitou o cataclismo da chegada de Nibiru, Vênus, pra fugir do Egito. Pois como se explicaria que um bando de pobres-diabos escravos venceram povos já estabelecidos na Palestina?
Segundo Velikovsky, em Mundos em colisão, Vênus chegou como um cometa e se estabilizou na órbita atual mas a aproximação causou muita perturbação gravitacional na Terra. Se a mítica Orelhona veio de Vênus só pode ser do lado de dentro, pois todos os astros são ocos, já que no lado de fora a temperatura é infernal.
Nibiru é Vênus. Tudo o que se fala sobre a perturbação gravitacional que causará à Terra é registro do passado, não profecia. Os arautos do fim-do-mundo agora dizem que um gigantesco Nibiru, além de Plutão, chegará neste começo de século e transtornará a Terra com perturbação gravitacional. Mas como pode viajar tão rápido? E se tem uma estrela anã junto, por quê ela não é vista?
A menos que seja um planeta-espaçonave, como pode ter sido Vênus e a Lua. Uma civilização tecnológica pode ter criado uma técnica pra que um planeta viaje como espaçonave e assim saia da órbita duma estrela moribunda e se estabilize noutra. Mas esse segundo nibiru é de lascar!
É como o Apocalipse, que relata a guerra atômica na antigüidade, copiado do Maabarata da antiga Índia. Mais uma profecia do passado.
Na década de 1970 os franceses eram os reis do realismo fantástico. Jacques Bergier, fundador da revista planeta, e Louis Pauwels, com a obra-prima O despertar dos magos, Jacques Sadoul, Robert Charroux, Roger de Lafforest, Guy Tarade, Jean-Michel Angebert (como Ellery Queen são dois primos, Jean e Michel são irmãos), Robert Ambelain, Jean Sendy… apresentam um enfoque científico ao mundo dos mistérios, diferente da parapsicologia misturada a espiritismo predominante no resto do ocidente. Hoje vemos um bum dos espanhóis, mas em vídeo.
Vicente Fuentes em Ufópolis, José Luis Camacho em Mundo desconocido, o muito jovem Iván Martínez em Gran misterio, David Parcerisa em Rimbel 35 y otros.
São canais iutúbicos dedicados a abordar temas de mistério, enigmas, realismo fantástico. Não são canais didáticos e sim contestadores. Mesmo assim sempre aparece imbecil pra insultar, gente que não sabe discordar sem ofender. Penso assim: Se o sujeito não é teólatra, pra quê vai à missa? Se é adepto da ciência oficial racionalista, pra quê entra numa página ufológica? Só pode ser masoquista.
Claro que não posso deixar de apontar as incongruências e anacronismos. Como discutir se Jesus era extraterreno. Uma teoria soviética superada. A estória de Jesus já está mais que dissecada, estudada e explicada. Não há mais tanto mistério. Se sabe que há uma impostura, um Jesus histórico que em nada se parece ao da tradição. As pessoas cultas sabem, como os templários sabiam. Só as multidões ignorantes e fanatizadas continuam crendo.
Portanto, quando esses canais falam sobre Nibiru chegando, que uns livros descobertos abalarão a Igreja, estão fazendo sensacionalismo. Abalará a Igreja coisa nenhuma! Os crentes não tomam conhecimento das descobertas. Não querem saber e têm raiva de quem sabe. E a Igreja continua e continuará na maior cara-de-pau. Quanta coisa comprovada e os crentes não debandaram.
Esses canais vez e outra passam do mítico ao místico, do realismo fantástico à fantasia realista. Chegam à infantilidade de discutir a existência de Deus! Se isso é inevitável, senão seriam como a ciência oficial, nova religião, ciosa do próprio prestígio, devem ao menos cultivar a coerência e fugir da puerilidade.
Há pouco José Luis fez uma palestra detalhando cada item da incongruência da viagem à Lua da Apolo 171. Depois fez um vídeo sobre um programa espacial secreto onde as superpotências estariam colonizando a Lua e Marte em segredo desde os anos 1960. O apresentador disse que acredita que seja verdade.
Mas se já estavam lá pra quê fazer aquela encenação trapalhona da viagem à Lua?
Afirmar que o homem nunca foi à Lua e depois dizer que dizer que todas as superpotências já estão lá e noutros astros há muito tempo, é contradição.
Apresentar dois conteúdos contraditórios é normal. Mas crer em ambos é incoerência.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016



Alphonse Daudet - José Luis Camacho (mundodesconocido.es)

André Valli (Visconde de Sabugosa) - Rody McDowall (ladrão de Bagdá)

Lionel Messi - Helmut Lotti

Lula lá - Lula Lelé

Agatha Christie

A gata Christie posando de pingüim de geladeira

Quem conhece a experiência dos ratos transgênicos transparentes? A gata Christie pensa que é transparente. deveria se chamar Cafuné. como gosta de cafuné! Quando banca a barra de tarefa, tudo bem. Fica bem rente ao pé da tela. Mas tem hora que resolve posar de pingüim de geladeira. E com expressão tão tristonha.
De vez em quando tenho de restaurar os sacos plásticos que abrigam os livros da biblioteca ou trocar por plástico mais grosso, pois onde tem vão a gata Christie usa como trampolim.
Hoje veio um casal de vacinadores da prefeitura. Desta vez a imobilizei com luva de raspa. O sujeito disse:
— Como é bravo!
Na vez anterior apareceram dois caras. Quando os viu esperneou, arranhando e mordendo. Na verdade de leve, por incrível que pareça. O bicho não é tão bruto. Tive de soltar, pois ficaram só olhando.
Mas comprei a luva de raspa mesmo foi pra brincar consigo. A gata Christie é muito sacana. Gosta de se esconder embaixo da cama e dar uma patada em meu calcanhar, e sair correndo em direção a um vão na estante, se escondendo atrás dos livros. Tenho de pôr a mão ali pra ser caçado. O bicho é tão inteligente que aprendeu sozinho a me caçar sem a unha. Mas tem vez que se empolga… Por isso comprei a luva de raspa.
Só gosta de beber água em torneira. Tenho de abrir um filete dágua pro bichinho beber naquele jeito desperdiçante e ineficiente de cães e gatos, que mais espalha que bebe.
Agora tem um amigo, um gato preto arisco que entra na maior cara-de-pau pra filar ração.
O bom é que parou de espalhar pena de passarinho na casa.

Coleção de cartão-postal de Joanco



quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Do acervo de Joanco
A curiosidade fica na última página, gorilha. Aqui no dicionário do word sublinhou em vermelho. Mas o dício do word só serve pra ajudar, porque é ruim demais. Gorilha é variante de gorila (Tanto é que em castelhano é gorilla), em desuso, em via de extinção. Com o tempo e com o instinto de manada as variantes vão sumindo.

Coleção de cartão-postal de Joanco

 
 
 

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Enviado por Márcio Rodrigues
Aventura espacial e curiosidade astronômica

Coleção de cartão-postal de Joanco


 

sábado, 6 de agosto de 2016

Suplemento-revista dominical de El espectador, Bogotá

Coleção de cartão-postal de Joanco

 





Crônica buenairense de Ramão
Ramão e Emiliana estiveram em Buenos Aires e Montevidéu, via Foz do Iguaçu, neste final de julho. Estarei lá em setembro. Vejamos as impressões de Ramão.
Disse que a situação lá não está boa. Aqui está muito melhor. A carne é sempre mal-passada, quase crua, sem sal nem outro tempero, que a fama do churrasco de lá é só propaganda mesmo. Que lá a comida é muito ruim.
Dar um desconto, pois Ramão é muito delicado e restrito com comida.
Mas disse que foi aos melhores restaurantes, os mais indicados do pacote.
Buenos Aires não tem problema com violência urbana. Se pode passear com tranqüilidade. Já Montevidéu, cidade muito menor, é bem pior quanto a assalto e golpe.
Quando chegaram a Montevidéu o ônibus ficou na rua. O pessoal foi avisado pra não deixar as coisas no ônibus mas sempre tem os sabichões. As vidraças foram quebradas na madrugada e roubaram algumas coisas.
Toda a baía do rio da Prata está muito poluída. Diz que não dá nem pra pôr o pé na água. Mas isso não é crime ambiental? Quando vaza petróleo ou tomba um camião de carga química o mundo inteiro faz um escarcéu… Mas os poderosos podem…
Em Buenos Aires táxi é muito barato. Diz que porque é a gás. Mas tem de pegar os que vão passando. Diz que os que estão parados no ponto são mafiosos.
O lojista argentino é muito grosseiro. Todo produto que tem na loja não se pode tocar, pois já vem o vendeiro vociferando No no no no! Preferem ficar sem cliente que ter cliente que toca nos produtos.
Espero que não seja assim nas livrarias. Como saber do quê se trata um livro?
Se está atendendo um cliente, nem olha ao lado. Os outros que chegam ainda não existem. Não adianta chamar, gesticular. És uma alma-penada vagando ali.
A situação está tão ruim que nos hotéis o desjejum é racionado. O café, torrada, suco, iogurte a vontade. Queijo, salame e croassã (meia-lua) dois pra cada pessoa.
Se sabe que o turista argentino de maior renda vai ao nordeste. Os de menor renda vão ao Brasil sul, pois é ali perto. Então o povo de lá se esbalda ao desjejum dos hotéis brasileiros, com aquela famosa mesa de quantidade e variedade, sem falar no famigerado esmorgasbor, que vem do sueco smörgåsbord, que pronuncia smêurgosbord, um café-da-manhã com 70 itens. Diz que os hoteleiros brasileiros procuram discretamente evitar que os hóspedes argentinos acessem o desjejum com sacolas, bolsas, porque tentam levar o possível.
Mas o pessoal é mais culto mesmo. Grosso mas culto. Os cinemas formam filas enormes. Todo mundo comportado.
É engraçado como cada país tem certas aficções específicas. O mexicano é fissurado em luta-livre. Até os super-heróis do cinema e do gibi são lutadores, como o Santo, que não é o Santo dos contos policiais de Leslie Charteris, mas um lutador mascarado sem-camisa, corpanzil, e outros similares. Na Venezuela o concurso de misse é paixão nacional, como o futebol no Brasil, tem até curso específico, não como no Brasil, onde a guria é bonita e leva jeito, se inscreve e pronto. No Chile o Teleton é acontecimento nacional.
Os guias turísticos são bem linha-dura. Se é pra passar tal hora, se o turista não estiver esperando fica a ver navio. Bom… Isso não é linhadurismo… Diz que, por exemplo, a guia explicando:
— Este rótulo é uma vinícola…
E a turistarada brasileira no maior bate-papo. Então um conversador pergunta:
— Da vinícola qual?
— Isso já expliquei!
E continua a ladainha.
Tá errada? Claro que não. Acabam ficando assim por causa de turista mal-educado. Brasileiro é muito folgado e reclamão. Ramão conta dessa e doutras viagens, colegas de pacote que se comportam como se tivessem 8 anos de idade.
E como desperdiçam. Uns só porque estão bem de vida. Por exemplo: Se tem vários tipos de lingüiça. Cada uma que pegar pagará. Pega uma de cada, só pra experimentar uma pontinha de cada, e deixa tudo no prato.

sábado, 23 de julho de 2016

n Reminiscência
Crime de lesa-humanidade
Doutor Joaquim Lourenço Filho
Em 1969, se não me falha a memória, o homem chegou à Lua, e nós maravilhados. Eu estava em Santos, de férias na casa de minha irmã Laudelina, quando presenciei o fato auspicioso via televisão, vendo a alegria do primeiro astronauta, pulando no queijo celeste que enfeita nossas noites enluaradas. E sua nave não foi levada até lá com gasolina, querosene nem outro destilado de nosso conhecido petróleo.
Estou começando este artigo pra denunciar o mais grave crime de lesa-humanidade que se comete contra este nosso querido planeta Terra, onde nascemos, criamos nossos filhos e continuarão a viver todos nossos descendentes até a consumação dos tempos.
O homem teve capacidade de transformar o hidrogênio em hidrogênio líquido, como combustível ideal pressa aventura sem precedente na história da humanidade.
É verdade, e sei de fonte segura, que o homem já descobriu a maneira segura de extrair o hidrogênio da água pra o transformar em combustível pra nossos automóveis e aviões. Só não o faz porque é premido pelo poderosíssimo cartel de petróleo, que direta ou indiretamente domina todas as nações do mundo, queiram ou não.
No ginásio fazemos no 2º ou 3º ano uma experiência muito simples que se chama eletrólise. Sabemos que a água se compõe de oxigênio (1 molécula) e hidrogênio (2 moléculas) e que via experiência vemos que a água se decompondo em 2 partes conseguem juntar num tubo-de-ensaio uma porção de gás e noutro uma porção em dobro de hidrogênio (H2O). Conseguimos com simplicidade franciscana. Nada de muita ciência aplicada ou de grande aparelhagem. Não seria justo que o homem já descobrisse um meio pra fazer com que os motores funcionem movidos por esse combustível inesgotável que se chama água?
Há dezenas de anos se sabe que quando a temperatura de determinado ambiente chega acima de 800ºC a água não evapora, se desintegra. Nesses casos o trabalho dos bombeiros derramando água no local do fogo, em vez de apagar o alimentaria ainda mais, motivo pelo qual nesses casos se costuma jogar espuma especial, pois a água alimentaria cada vez mais o fogo por causa do oxigênio desintegrado. Foi o caso do incêndio da última favela em São Paulo, que demorou quase uma noite inteira pra ser debelado, quando seria dominado nalgumas horas apenas. Como é o caso dos incêndios nos aeroportos, com aviões, e nos grandes depósitos de combustível. Baseados nesse princípio de que a água se desintegra nessa temperatura e que a temperatura da centelha que vemos saltar das velas de nossos automóveis tem essa temperatura na ocasião da centelha, um rapaz da ilha do Governador idealizou um dispositivo que ajudava, queimando um pouco dágua e economizava a gasolina consumida no veículo.
Entrei em contato consigo e consegui o trazer a Dourados, pagando a passagem e a hospedagem durante 3 dias. Fez várias demonstrações numa manhã de domingo em nossa praça principal. Ainda tenho um dos anéis metálicos que eram acoplados ao carburador, e um recipiente depositário dágua. Isso me dava uma economia de combustível de 20%.
Tempo depois tentei entrar em contato consigo novamente. Simplesmente desaparecera como por encanto. Numa de minhas idas ao Rio de Janeiro o procurei em seu endereço mas ninguém soube dar notícia sua nem de sua família. Se evaporaram sem deixar endereço.
Outro caso estranho, se não me falha a memória, aconteceu em Sorocaba, estado de São Paulo, publicado até nos jornais. Um rapaz de 20 anos planejara um motor movido a água mas que ainda apresentava um defeito: O calor desprendido era tanto que no fim dalgumas horas o motor fundia. Bastaria encontrar um metal resistente ao calor ou o isolar, e estaria resolvido o problema. Esse rapaz, publicaram os jornais, recebeu uma proposta vultuosa em dinheiro e foi intimado a força a ir estudar em Eua, com sua família, e nunca mais se soube notícia deles. Muito estranho. Não é?
É o cartel do petróleo, que não deixa alguém descobrir algo que interfira em seus interesses trilhonários.
O petróleo poderia se aproveitado pra fabricar o que fabricamos de madeira, como caibro, viga e vigota, pra construção de telhado e móvel, que não seria atacados por cupim, pois o plástico nada mais é que um derivado do petróleo, e deixar os carros serem movidos a água.
Via eletrólise da água, o (O2) oxigênio, seria novamente jogado de volta à atmosfera, a purificando em vez de espalhar gases nocivos. O hidrogênio, queimado pelo motor do carro é uma coisa tão fácil, um invento tão banal, que às vezes, talvez um jovem inventor encontre uma solução ao problema. Sonhemos alto, jovens inventores de Mato Grosso do Sul. Inventemos um eletrólito rápido e barato. Depósitos de hidrogênio, como botijões de gás pra o armazenar e um motor simples pra o consumir. Não tenho queda pra inventor, mas aqui em Dourados tem muita gente que talvez possa resolver o problema. É uma maneira simples e banal. Tentemos! Salvemos a humanidade, pois talvez nossos netos não terão mais combustível pra queimar.
É um apelo que faço, sério, honesto. Quem quiser entrar em contato comigo, basta dar um pulinho a meu consultório, pois terei imenso prazer em conversar sobre o assunto. Estamos  cometendo um crime de lesa-humanidade, assassinando o planeta Terra, esvaziando os buracos onde ainda estão acumulados alguns bilhões de toneladas do famigerado e ambicionado ouro negro, o transformando em poluente de nossa atmosfera.
Ainda é tempo de despertar a humanidade desta modorra que está provocando a morte de nosso planeta.
Deus que me perdoe! Mas não poderia viver nos séculos 22 ou 23. Até lá tudo já estará perdido se já não estiver no fim do 21.
Confiamos em ti, mocidade de minha terra.
Diário do povo, Dourados, Mato Grosso do Sul
Quinta-feira, 02.07.1998

Materia relacionada:
¿Fueron asesinados los inventores del motor de agua y aire?
VM Granmisterio


 n Reminiscencia
Crimen de lesa-humanidad
Doctor Joaquim Lourenço Filho
En 1969, si no me falla la memoria, el hombre llegó a la Luna, y nosotros maravillados. Yo estaba en Santos, de vacaciones en la casa de mi hermana Laudelina, cuando vi el hecho auspicioso vía televisión, viendo la alegría del primero astronauta, brincando nel queso celeste que adorna nuestras noches de luna. Y su nave no fue levada hasta allá con gasolina, querosene ni otro destilado de nuestro conocido petróleo.
Estoy empezando este artículo para denunciar el más grave crimen de lesa-humanidad que si comete contra este nuestro querido planeta Tierra, donde nascemos, criamos nuestros hijos y continuarán a vivir todos nuestros descendentes hasta la consumación de los tiempos.
El hombre tuvo capacidad de transformar el hidrógeno en hidrógeno líquido, como combustible ideal para esa aventura sin precedente en la historia de la humanidad.
Es cierto, y sé de fuente segura, que el hombre ya descubrió la manera segura de extraer el hidrógeno del agua para lo transformar en combustible para nuestros coches y aviones y, apenas no lo hace porque es presionado por la poderosísima mafia del petróleo, que directa o indirectamente domina todas las naciones del mundo, quieran o no.
En la escuela hacemos nel 2º o 3º año una experiencia muy simples que se llama electrólisis. Sabemos que el agua si compone de oxígeno (1 molécula) y hidrógeno (2 moléculas) y que vía experiencia vemos que el agua si descomponiendo en 2 partes consiguen juntar en una probeta una porción de gas y en otra una porción en doble de hidrógeno (H2O). Conseguimos con simplicidad franciscana. Nada de mucha ciencia aplicada o de gran aparato. ¿No sería justo que el hombre ya descubriese un medio para hacer con que los motores funcionen movidos por ese combustible inagotable que se llama agua?
Hace decenas de años sabemos que cuando la temperatura de determinado ambiente ultrapasa 800ºC el agua no evapora, se desintegra. En esos casos el trabajo de los bomberos derramando agua nel local del fuego, en vez de apagar lo alimentaría todavía más, motivo pelo cual en esos casos se suele arrojar espuma especial, pues el agua alimentaria cada vez malas el fuego por causa del oxígeno desintegrado. Fue el caso del incendio de la última favela en San Paulo, que demoró casi una noche entera para ser debelado, cuando sería dominado en algunas horas apenas. Como es el caso de los incendios en los aeropuertos, con aviones, y en los grandes depósitos de combustible. Basados en ese principio de que el agua se desintegra en esa temperatura y que la temperatura de la centella que vemos saltar de las velas de nuestros coches tiene esa temperatura en la ocasión de la centella, un muchacho de la isla del Governador idealizó un dispositivo que ayudaba, quemando un poco de agua y economizaba la gasolina consumida nel vehículo.
Entré en contacto consigo y conseguí lo traer a Dourados, pagando el pasaje y el hospedaje durante 3 días. Hizo varias demonstraciones en una mañana de domingo en nuestra plaza principal. Todavía tengo uno de los anillos metálicos que eran acoplados al carburador, y un recipiente depositario de agua. Eso me daba una economía de combustible de 20%.
Tiempo después intenté entrar en contacto consigo nuevamente. Simplemente desapareciera como por encanto. En una de mis idas a Rio de Janeiro lo procuré en su dirección pero nadie supo dar noticia suya ni de su familia. Se evaporaron sin dejar dirección.
Otro caso extraño, si no me falla la memoria, ocurrió en Sorocaba, estado de São Paulo, publicado hasta en los periódicos. Un rapaz de 20 años planeara un motor movido a agua mas que todavía tenía un defecto: El calor desprendido era tanto que nel fin de algunas horas el motor se fusionaba. Bastaría encontrar un metal resistente al calor o lo aislar, y estaría resuelto el problema. Ese rapaz, publicaron los periódicos, recibió una propuesta vultuosa en dinero y fue intimado a fuerza a ir estudiar en Eua, con su familia, y nunca más se supo noticia de ellos. Muy extraño. ¿No?
Es el cartel del petróleo, que no deja alguien descubrir algo que interfiera en sus intereses trillonarios.
El petróleo podría si aprovechado para fabricar lo que fabricamos de madera, como tirante, viga y vigota, para construcción de tejado y mueble, que no sería atacado por termita, pues el plástico nada más es que un derivado del petróleo, y dejar los carros ser movidos a agua.
Vía electrólisis del agua, el (O2) oxígeno, sería nuevamente arrojado de vuelta a la atmósfera, la purificando en vez de esparcir gases nocivos. El hidrógeno, quemado por el motor del coche es una cosa tan fácil, un invento tan banal que, a veces, tal vez un joven inventor encuentre una solución al problema. Soñemos alto, jóvenes inventores de Mato Grosso do Sul. Inventemos un electrólito rápido y barato. Depósitos de hidrógeno, como balones de gas para lo almacenar y un motor simples para lo consumir. No tengo inclinación para inventor, pero aquí en Dourados tiene mucha gente que tal vez pueda resolver el problema. Es una manera simples y banal. ¡Tentemos! Salvemos la humanidad, pues nuestros nietos no tendrán tal vez más combustible para quemar.
Es un apelo que hago, serio, honesto. Quien quiera entrar en contacto conmigo, basta ir a mi consultorio, pues tendré inmenso placer en charlar sobre el asunto. Estamos cometiendo un crimen de lesa-humanidad, asesinando el planeta Tierra, vaciando los agujeros donde están acumulados, todavía algunos billones de toneladas del célebre y ambicionado oro negro, lo transformando en contaminante de nuestra atmósfera.
Todavía es tiempo de despertar la humanidad de esta modorra que está provocando la muerte de nuestro planeta.
¡Dios que me perdone! Pero no podría vivir en los siglos 22 o 23. Hasta entonces todo ya estará perdido si ya no estará nel fin del 21.
Confiamos en ti, mocedad de mi tierra.
Diário do povo, Dourados, Mato Grosso do Sul
Jueves, 02.07.1998



terça-feira, 19 de julho de 2016

Enviado por Márcio Rodrigues

Coleção de cartão-postal de Joanco

 
 
 
 
 
 

 
 
É de lascar!
Faz tempo que eu não ria tanto, até quase doer a barriga, desde aquela da mamografia via satélite, em português (Mamografía vía satélite, em castelhano). Tá difícil escrever esta matéria. É lembrar e rir mais.
Jornalista não é ruim só em gramática. É por isso que são contra diploma pra jornalista.
Imagines o casal de apresentadores do jornal Hoje, Sandra Annenberg e Evaristo Costa (aquele casalzinho simpáaaaatico da mídia manipuladora) anunciando a chegada a Júpiter da nave tripulada Juno, com heróicos astronautas largando a família pra viajar 6, 7, 8 anos pro bem da humanidade.
Pois foi o que fizeram os apresentadores peruanos Mariella Patriau e Armando Canchaya (Se os apresentadores estão assim, imagines o público!):
Publicado em 05.07.2016
Jornalistas da RPP acreditam que a sonda Juno é tripulada por astronautas
Erro de jornalistas sobre astronautas encerrados durante 5 anos virou epidemia no iutube. dois jornalistas dum canal de TV peruano passaram um vexame ao informar que uma tripulação permanece encerrada num artefato enviado a Júpiter pela NASA.
Os protagonistas do incidente ao vivo foram os apresentadores da RPP TV Armando Canchaya e Mariella Patriau, informando que a sonda de Juno, equipe da NASA, chegara à órbita de Júpiter após 5 anos de viagem e que agora seria no veículo que mais se aproximou do gigantesco planeta gasoso, pra decifrar os enigmas e descobrir mais sobre a origem do sistema solar, como se vê na imagem do iutube.
O jornalista Armando Canchanya começou a apontar:
— Então estão encerrados ali há 5 anos.
A jornalista Mariella Patriau continuou, como se ouve na nota captada no iutube:
— Essas pessoas se separam da família durante anos e anos. Isso é o que nos chega através dessa nave mágica tripulada por gente heróica. Pois sacrificar a vida familiar ou pessoal pra viajar ao redor de planetas desconhecidos durante 6, 7, 8 anos, em prol ao conhecimento mundial é realmente um heroísmo.
Depois do erro a produção os avisou que a nave não é tripulada e os jornalistas corrigiram o erro diante das câmeras. Mas o momento já fora captado pelos usuários, e difundido no iutube.
Periodistas de RPP creen que la sonda Juno es tripulada por astronautas
Error de periodistas sobre astronautas encerrados durante 5 años se hizo viral en YouTube. Un bochornoso momento vivieron dos periodistas de un canal de TV nacional al informar que una tripulación permanece encerrada en un artefacto enviado por la NASA a Júpiter.
Los protagonistas de este incidente en vivo fueron los presentadores de RPP TV Armando Canchaya y Mariella Patriau, quienes informaron que la sonda de Juno, equipo de la NASA, llegara a la órbita de Júpiter tras 5 años de viaje y que ahora se convertiría en el vehículo que más se aproximó al gigantesco planeta gaseoso, para descifrar los enigmas y descubrir más sobre el origen del sistema solar, como se ve en imagen de YouTube.
Comenzó a señalar el periodista Armando Canchanya:
Entonces estuvieron allí encerrado 5 años.
Continúo la periodista Mariella Patriau, como se escucha en la nota captada por YouTube:
Esas personas se separan de sus familias, años de años. Esto es lo que esta nos llega a través de esa nave mágica tripulada por gente que es héroe. Pues sacrificar la vida familiar o personal para viajar alrededor por planetas desconocidos durante por seis, siete, ocho años, en pro del conocimiento mundial es realmente una heroicidad.
Después de el error, la producción les avisó que la nave no estaba tripulada y los periodistas corrigieron el error ante las cámaras. Sin embargo, el momento ya fuera captado por usuarios, y difundido en YouTube.
Num programa de tevê o chileno Salfate, rodeado por belas modelos, explicava o caso do misterioso e desconhecido satélite Cavaleiro negro (no minuto 16), que seria uma mensagem dalgum extraterreno num passado cósmico:
— […] e colocaram essa mensagem, pra caso alguém o localizar já saber aonde ir.
E uma das moças (outra mariella, hehehe):
— E por quê não foram?
— Impossível. Nossa tecnologia…
— Como não?
— Não dá. Com a tecnologia atual demoraríamos, digamos, 50 mil anos pra chegar até lá.
Quando se entra numa página internética, blogue, etc, é uma dificuldade muito grande pra localizar o país. Diz tipo assim A situação nacional. Nacional donde? Se esquece de que estamos em internete, rede global. Não é mais o jornal impresso comprado na banca da esquina.
Se entro numa página que fala sobre o carnaval da cidade tal, não sei se fica na Colômbia, Argentina, Espanha, México, Nicarágua… Fuço na página toda e não acho referência ao país. Faz uma baita promoção do carnaval local mas se alguém quiser ir terá de pesquisar em buscador pra saber onde fica a tal cidade! Mesma coisa aqui. Entro numa página, prefeitura da cidade tal. Mas em qual estado fica? São Paulo, Rio de Janeiro, Sergipe?
Como quem contribui com relato, fantasmagórico ou não, àlguma página. Não situa no tempo nem no espaço. Não diz quando, onde. A coisa fica muito no limbo.
O pior são os de culinária.
Uma lata de leite condensado.
Pra nós é muito familiar. Mas e noutro país? E num futuro remoto? Não saberão se é uma latinha do tamanho dum tubinho de esmalte ou duma latona de tina pra parede.
Uma colher disso e daquilo.
Colher-de-chá, colher-de-sopa?…
Nos primórdios da internete catei umas receitas de vinho caseiro em inglês. Vinho de amora, etc. Que dificuldade pra entender as medidas. Isso quando não resolvem usar abreviação, que é uma mania de dicionarista, o que eleva a confusão ao quadrado. Escreves SP, RJ, etc, e achas que todo mundo sabe que é São Paulo, Rio de Janeiro, etc, mas quando aparece estado ianque em sigla assim também, pára a novela! e vai pesquisar.
Antes eu era contra o pessoal escanear gibi com menos de 7 anos da publicação. Não sou mais. Vejamos o exemplo de Campo Grande. Já não estamos mais nos anos 1970, quando um capítulo duma telenovela era exibido com mais de mês de atraso na tevê. Dos gibis que são lançados chega àqui um e outro. Só ponta-de-estoque. Se vemos a propaganda dum lançamento noutro gibi, podemos procurar o tempo que for. Nunca chega à cidade.
E as editoras que reclamam de direito autoral mas não imprimem a data de publicação na ficha técnica.
E vejas esta. Quem seria a famosa babusca gravada filmando a morte de presidente Kennedy:
Sabias que há uma mulher que viu o que aconteceu ao presidente de Eua em 22.09.1963 na primeira fileira e que pertenceria a uma das famílias mais importantes do mundo? O quê fazia ali e quem era? Não percas este videoprograma no qual abordaremos um dos enigmas mais importantes de todos os tempos.
¿Sabías que hay una mujer que vio lo que le ocurrió al presidente de Eua en 22.09.1963 en primera fila y que pertenecería a una de las familias más importantes del mundo? ¿Qué hacía allí y quién era? No te pierdas este videoprograma en lo cual abordaremos uno de los enigmas más importantes de todos los tiempos.
Outro artigo é de que Bolaños (seriado Chaves) seria mação, que o sucesso seria devido a um pacto satânico.
Chaves pode estar longe de ser ruim, mas é de se pensar sucesso tão estrondoso.
Muito provável, pois o sistema só permite o sucesso dos seus ou dos que servem pralgum uso.
Tantos desenhistas de talento são ignorados, enquanto medíocres, que não sabem desenhar, muito menos pintar, como Picasso, são elevados à categoria de grande sumidade, considerados gênios, etc.
Outra matéria interessante:
Grandes atores famosos recentemente saíram a público pra denunciar injustiças que há anos pareciam improváveis. O quê está acontecendo? Falamos sobre pederastas, máfias, e graves injustiças sociais e elitistas… Os protagonistas são atores do calibre de Robert de Niro.
Grandes actores famosos salieron recientemente a la palestra para denunciar injusticias que hace años parecían improbables. ¿Qué está pasando? Hablamos de pederastas, mafias, y graves injusticias sociales y elitistas... Los protagonistas son actores del calibre de Robert de Niro.
O apresentador disse que o grande mal é o excesso de obediência (a obediência bovina). Não se trata de pregar anarquia mas a passividade total também é um mal. São extremos opostos.
Outros vídeos dissecaram a descarada cerimônia satanista na inauguração dum túnel de São Gotardo, na Suíça.